Responsável da EMA confirma ligação entre vacina da Astrazeneca e tromboses

Responsável da EMA confirma ligação entre vacina da Astrazeneca e tromboses

abril 6, 2021 Off Por Roberto Dovanni

Marco Cavaleri, responsável da estratégia de vacinas da Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) confirmou que há uma ligação entre a vacina da AstraZeneca e os casos de trombose.

Em declarações ao jornal italiano Il messagero, o responsável da Agência Europeia do Medicamento (EMA) admitiu que “é claro que há uma ligação [dos casos de trombose] com a vacina” da AstraZeneca. “Agora podemos dizer [que sim]”, afirmou Marco Cavaleri.

Contudo, ainda não se sabe a causa desta reação. “Ainda não sabemos. Nas próximas horas diremos que há uma ligação, mas ainda temos de entender como acontece”, explicou.

Especialistas da Agência Europeia do Medicamento reuniram-se esta semana para finalizar a sua avaliação de casos raros de coagulação do sangue e a sua possível relação com a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca, cujo uso em menores de 60 anos está paralisado em alguns países europeus.

O Comité de Avaliação de Risco de Farmacovigilância (PRAC, na sigla em inglês), responsável por monitorizar e avaliar a segurança dos medicamentos para uso humano autorizados pela EMA, tem reuniões agendadas de terça a sexta-feira.

Na última reunião, quarta-feira passada, o PRAC não descartou a relação causa-efeito, mas também não encontrou evidências claras de uma ligação entre a AstraZeneca e o desenvolvimento de coágulos sanguíneos com baixo número de plaquetas.

Com isto, a EMA continua a considerar que os benefícios desta vacina contra covid-19 continuam a superar qualquer risco de efeitos colaterais.

Vários países europeus, como é o caso da Dinamarca, Estónia, Lituânia, Luxemburgo, Letónia, Noruega e Áustria, suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca após relatos de coágulos e tromboses em pessoas que foram vacinadas com este produto.

No início de março, a Áustria anunciou a retirada por precaução de um lote da vacina da AstraZeneca após a morte de uma enfermeira do hospital de Zwettl. Um segundo paciente foi diagnosticado com embolia pulmonar e, até terça-feira, mais duas outras condições de coagulação foram identificadas em pacientes que receberam uma dose do mesmo lote.

Portugal também chegou a suspender o uso da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 por motivos de “precaução” e “saúde pública”

Mesmo quando vários países decidiram interromper o uso desta vacina, a Organização Mundial de Saúde (OMS) continuou a recomendá-la. Também a EMA tinha assegurado que a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 “é segura e eficaz”, não estando associada aos casos de coágulos sanguíneos detetados, que levaram à suspensão do seu uso.

Apesar de vários países terem voltado a administrar a vacina após o parecer da EMA, a Dinamarca e a Noruega prolongaram a suspensão do seu uso. Paralelamente, o Canadá e alguns hospitais alemães suspenderam esta inoculação em menores de 55 anos.

Em Portugal, a hipótese de uma nova suspensão da AstraZeneca foi afastada pelo coordenador da task force para a vacinação.

Na semana passada, foi noticiado que sete pessoas morreram no Reino Unido por causa de coágulos sanguíneos, após receberem a vacina da AstraZeneca.

Creditos: https://zap.aeiou.pt/responsavel-ema-confirma-ligacao-392814