Um certo João Matias

maio 11, 2020 0 Por Roberto Dovanni

Em uma certa cidade no interior do Brasil, havia um bom homem conhecido no lugar por João Matias, cidadão de vida simples, trabalhador e temente a Deus.

Com boa cultura honrou e educou durante toda a sua vida,  esposa e  filhos. Com não menor importância, cuidou com respeito e solidariedade de  irmãos e amigos e com amor honrou seus pais.  No alto dos seus sessenta e poucos anos, com tantas responsabilidades sociais e humanitárias,  demonstrava mesmo inconscientemente, sofrer  desgastes físicos e psicológicos que derivaram do grande temor e tremor, sendo sua maior preocupação, o tempo e o momento que vivia.

O povo do lugar lembra-se de João Matias comentar, entre seus bons e  valiosos pensamentos;  ser   um perseguidor  desde a tenra infância, de algo muito sublime e especial que nem  ele mesmo tinha a verdadeira certeza da importância que teria em sua simples e dedicada vida; ” O verdadeiro motivo da sua existência”.

Avançado em idade carregava em sua mente e coração muitas lembranças, memórias  e experiências   que por vezes lhe serviam de alegria em  alguns  momentos de  tristezas, contudo, não demonstrava nenhuma forma de arrependimento por ter dedicado toda a sua vida com fidelidade para com as Coisas Especiais Determinadas e Preparadas por  Deus.

João Matias no bom propósito de manter a ordem e os bons costumes entre os seus,  era  dominador e determinador, entretanto, com o passar dos anos percebia que em  alguns  momentos perdia o domínio do seu responsável e equilibrado poder; também já não sentia tanta segurança ao tentar  determinar direções, pois sua voz forte e poderosa já não entoava no mesmo tom à canção que antes convencia a todos, mesmo porque, em raras vezes, era utilizada com alguma imposição.

Mas o momento que vivia era de muita insegurança. Algumas ocorrências, sem ele mesmo entender os motivos, haviam mudado a sua rotina, e perigosamente transformado o peso e os valores dos seus princípios  que pouco tempo antes pareciam ser  imutáveis.

João Matias homem alegre forte  e determinado atualmente sentia-se vacilante… A tristeza e a melancolia,  companheiras indesejáveis, não se apartavam do seu leito deixando suas noites insuportáveis com tribulações que durante o dia castigavam-no com pensamentos terríveis, chegando acreditar que na verdade era portador de algum mal ou doença incurável.

Tudo aparentemente conspirava contra os seus mais remotos princípios, e aos seus olhos cada vez mais se tornava uma figura dispensável, solitária e sem crédito.

João Matias passou a viver  em reclusão e ocupava o maior tempo da sua vida pensando e refletindo em uma tentativa frustrada entender o que havia mudado em sua vida e o que proporcionou tamanha transformação em seu simples e às vezes atribulado, mas prudente e consciente bem administrado dia a dia

Certo dia, em grande tribulação e fragilidade, toma em suas mãos a Bíblia. Usando o crédito adquirido por anos de fidelidade e dedicação à Obra de Deus apela e reclama com Aquele que sempre esteve Presente dirigindo os seus frágeis passos. Toma o Santo Livro e abre em uma parte qualquer aleatoriamente. Encontra naquela infalível companheira, que sempre o acompanhou e esclareceu suas dúvidas em momentos de lutas e desespero, a Fé poderosa, que o faz sentir e retomar, a Presença Daquele que sempre prontamente em sua Grande Misericórdia Se apresenta Falando misteriosamente através da Sua Palavra…

LUCAS –Capítulo 9

57   Indo eles caminho fora, alguém lhe disse: Seguir-te-ei para onde quer que fores.

58   Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.

59   A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai.

60   Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus.

61   Outro lhe disse: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa.

62   Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus.

João leu os versículos e chorou…

Após a leitura o momento era obvio, entendia que: sua mais antiga busca que tanto o motivara enfrentar a dureza e dificuldades da sua longa caminhada, se apresentara clara ao seu pequeno e necessitado entendimento;   – -“A sua família deveria seguir o seu próprio caminho enquanto a sua alma e seu espírito deveriam colocar-se a caminho das Promessas”.

– Mesmo com tanta clareza, João Matias custou aceitar…e vacilou.

– Como abrir mão de anos de trabalho, dedicação e amor para construir uma família e agora Deus me requer abandona-los?

João Matias tinha diante de si um grande conflito… A Sua Alma e o se Espirito deveriam fazer a vontade de Deus, entretanto a sua carne e sua história deveriam servir de renuncia. O momento era difícil: mas João Matias não entendia que a Vontade de Deus não se tratava de renuncia e sim de abdicação.

A Obra de Deus passou a requerer uma dedicação maior e mais presente de João Matias, e seu tempo que antes dividia-se entre sua família, Igreja e os seus  tornou-se em um único tempo e uma única família.

Os problemas domésticos não tinham as mesmas condições de antes, e sua influencia pessoal  nas soluções familiares já não eram tão determinantes. Sua voz e suas interferências pessoais declinaram e o seu silêncio com olhar distante deixaram de ser vistos como omissão e consagravam-se  misteriosamente em juízo e determinação traduzidas em comunicação puramente espiritual.

As mudanças eram claras, mas João Matias recalcitrava. A medida que o tempo passava sua Fé, que antes era inabalável, mostrava-se inconstante pois as obrigações e responsabilidades aumentavam em numero e grandeza e a insegurança carnal abalavam suas estruturas espirituais, entretanto, Deus em Sua Infinita e Poderosa Sabedoria ao longo do tempo consolidara em João Matias  as suas Promessas que o fortificara, e agora o consagrava em Sacerdote fiel a serviço da Sua Obra provendo-o de Dons e poderes, antes eram desconhecidos.

Enfim, a grande Promessa  da vida de João Matias, desde a mais tenra idade que ele tanto perseguia sem nunca entender, misteriosamente se realizara,  agora em um novo caminho com atitudes novas e procedimentos ainda mais afinados com Deus, se via promover o crescimento e o desenvolvimento da Santa Preparação com um novo povo especial  para a vinda de Cristo.

Todos nós, desde o ventre da nossa mãe recebemos de Deus algum talento, e assim como foi feito com João Matias,  haverá o momento certo em que Deus há de requerer a cada um de nós e dos seus, a fiel servidão. Assim mesmo como Jesus Cristo esperou o seu momento e o tempo determinado por Deus para o cumprimento das profecias. Por ser verdade deveríamos entender e estarmos atentos e prontos ao possível e inesperado Chamado de Deus em favor da Sua Obra;  – pois próximo está a  conclusão do seu Perfeito Propósito e com cada um assim conforme a porção do talento oferecido a cada um também será exigido.

João Matias pode nunca ter existido e ser um simples personagem de ficção, mas subestimar o Poder e  as Promessas e Determinações de Deus , é um grande erro e seu acerto futuro é irreparável.